quarta-feira, 11 de julho de 2018

Quem garante que não?

No post anterior fiz citações relevantes que se referem a impossibilidade que me foi imposta pelas circunstâncias de não ter tido a oportunidade de conhecer e conviver de forma intrínseca e com bastante intimidade com as mulheres dos doze países das quais são oriundas as selecionadas.E,num exercício amplo de imaginação,me vi,de repente,mantendo, com cada uma delas, um relacionamento amplo e irrestrito,com todas as consequências decorrentes duma situação dessa natureza.É mister esclarecer ,que no andamento de cada relação ,só quem aumentava de idade era eu,elas,as hipoteticamente beneficiadas e privilegiadas,seriam sempre escolhidas quando atingissem a faixa etária de reprodução consentida,ou seja,entre 21/25 anos.E,como é sabido,sendo eu um reprodutor capaz e assumido,teria com cada uma delas um herdeiro,independente do sexo dos rebentos.Seguindo essa linha de pensamento,quando acabasse o tempo da 12ª,seriam 12 filhos ,todos meio irmãos e de nacionalidades bastante misturadas.Então,eu já estaria beirando os 50 e poucos anos, quando seria o momento certo de promover um encontro de todos os meio irmãos e de suas respectivas mães.Seria muito bonito o entrosamento e a troca de experiências entre eles e ,lógico,bastante tenso o relacionamento entre as passadas concorrentes,já que sempre teria uma que cedeu seu lugar a outra,coisa que com muito tato eu teria que contornar,para não ocorrer uma desavença mais séria.Digo isto porque certamente várias delas ainda teriam uma esperança,mesmo que remota,e uma paixão recolhida por mim e poderiam querer dar vasão a esses sentimentos remanescentes.Mesmo sendo um exercício de imaginação eu vou tentar,na próxima encarnação,transformar esse anseio atual em realidade futura.Se der no jeito,futuramente eu conto como foi o imbroglio todo .

terça-feira, 3 de julho de 2018

Frustração infinita !

Sempre que acontecem esses eventos globais,tipo Olimpíadas,Copa do Mundo ,Jogos de Inverno,e por aí afora,procuro assistir dentro de uma racionalidade consciente e,de uma forma ou de outra acabo me envolvendo, de forma a torcer para um ou para outro,sempre mirando o desempenho ,dentro de minha ótica.Muitas vezes fujo do lugar comum do aplauso ao mais famoso ou famosa do momento,considerando apenas aquilo que mostrou quando da minha assistência.Constantemente sou questionado ,e por vezes ,considerado radical ou até controverso.No frigir dos ovos,depois de algum tempo,quando a poeira já baixou ou nem existe mais,é comum a maioria concordar com a avaliação feita,mesmo que muitos procurem não demonstrar isso,mas seus atos e expressões acabam por denunciá-los.Isso se tornou tão comum que nem me ligo mais,mesmo que continuem acontecendo seguidamente.Agora na Copa são várias situações que acabam por repercutir por aqueles considerados entendidos no assunto,o que significa que alguém anda lendo meu blog,copiando minhas observações,o que não tem problema nenhum,mas deveriam citar a fonte,claro.Mas,em todos esses eventos que referi,sempre vem a minha mente, ao ver as figuras das assistentes de diversos locais de qualquer distância,a frustração enorme de não ter tido a oportunidade e as condições necessárias de conviver  com cada uma de diversas etnias,curtir ,saber e aprender e trocar todo o tipo de experiências com as mulheres que surgem na tela da TV.Não uma, específicamente,mas algumas de todos os lugares que ali estão representados.Acharia fantástico saber dos sonhos,de que como vivem,como é seu dia a dia e como se portam no aconchego familiar,quais seus sentimentos e por aí a fora.Acho que uns dois anos com cada uma delas e são cerca de 12 paises selecionados,me traria um conhecimento muito legal,mesmo sabendo que quanto mais eu aprendesse menos eu saberia.Essa frustração vou levar para sempre onde quer que eu vá e sei que só posso é contorná-la vivendo aquilo que temos por aqui.Quem prestou atenção deve ter percebido que falei apenas nas mulheres,é porque homens não merecem muita confiança e as mulheres tem ,quando interessa,um jeito de tratar que encanta.

sábado, 23 de junho de 2018

A presença invisível...

Da forma como as coisas se sucedem,com a rapidez e o entendimento que sofrem sua  essência e seus desdobramentos e interpretações,não é raro deixarmos de comentar ou abordar algum assunto que em muitas ocasiões gostaríamos de fazê-lo.Mas,com tamanha variedade de abordagens a disposição,muitas vezes quando se pega a "caneta" moderna,já existe coisa mais pulsante para falar .E,assim,sucessivamente.Então,num sábado bonito,temperatura agradável,em que o frio demasiado deu um tempo.com disposição para muita coisa,inclusive rabiscar algo . Uma garrafa de carmenére chileno ao lado de empadas entapiocadas e canudos recheados,surge a vontade natural de espeirecer a mente,enquanto ao fundo a TV ligada mostra um jogo da Copa,que felizmente não é o nosso.É verdade que com todo esse fundo "musical" ,lá no fundo da alma abre-se a porta de algumas lembranças e e surge impávida e colossal a figura eterna e etérea da prima maldita,maldita por neste momento não estar por perto,ao alcance do toque,do cheiro,do sabor.E,como não é de praxe qualquer queixa ou reclamação toca-se o barco,conforme permitem as ondas que se sucedem e que vez por outra saeme de cena,tornando tudo mais fácil de ser navegado.Amanhã certamente vai fazer frio novamente e as cobertas terão de ser duplicadas e o banho tradicional vai de novo ocasionar cara feia,mas tem de ser levado a efeito,certamente é mais um vício agradável.Se tudo continuar nesse ritmo,o mais adequado é ,já que a prima está maldita,procurar alguma companhia que também ande nua pela casa e que prefira se aquecer debaixo do edredon.

segunda-feira, 16 de abril de 2018

ÂNGELA DO MAR !

Ângela do Mar era como eu chamava Mariângela Roig,uma antiga parceira com quem tive a felicidade de conviver durante um tempo razoável e ,mesmo que não faça tanto tempo assim, já é um  espaço considerável e sempre que ela ,por qualquer motivo,vem à lembrança,parece que foi ontem,de tão legal que foi.E causa um leve suspiro que é ao mesmo tempo de conformidade e de uma remota esperança,coisa que sei que se tornou impossível,mesmo que não aceite muito esse termo como consequência.Mas isso é apenas o refúgio final que guarda naquele cantinho da alma onde permanecem debaixo de suas cinzas ,as coisas inesquecíveis.Ângela do Mar um dia resolveu ir estudar no Canadá,Winippeg,mais especificamente,gostou do frio,se adaptou e por lá ficou. Pouco a pouco fomos perdendo contato,com exceção de uma vinda dela até os pagos,muito mais para resolver coisas necessárias de sí e de outros familiares, que por motivos emocionais pendentes,pois até aceito que já não existissem mais essas emoções que eram tão latentes,e,ardentes,na verdade.Hoje,sem querer,zanzando em páginas quase perdidas de meu note,dei de cara com a foto dela e ,outra vez,foi forçoso reconhecer a sua beleza estonteante e o poder que isso exerce,aliado lógico a uma personalidade brilhante e atraente.A última vez que soube dela,estava Mariângela com compromissos profissionais estabelecidos e comprometimentos emocionais em ponto de enlace duradouro,espera-se.De qualquer forma,pelo que vivemos e convivemos,pelas promessas e pelos devaneios,torço para que ela esteja bem e feliz e que tenha,como sempre falava,herdeiros, que desejo eu sejam e tenham sua marca de caráter e de beleza.Guardei dela doces lembranças,mas como sempre afirmo,nada de saudades,já que entendo que saudade não existe e o que fica mesmo é a vida em comum,seja este comum como bem entende cada qual.

segunda-feira, 9 de abril de 2018

Diva...gando !

Se a coisa toda for analisada pelo ponto de vista considerado como "pontual",podemos até afirmar que está tudo dentro dos seus conformes e de acordo com os entendimentos normais .Até as ocasionais extravagancias,próprias de assuntos dessa natureza,se posicionam dentro dos parâmetros  adequados.Entretanto,quem conhece a situação mais para dentro do âmago de cada um dos envolvidos,logo de cara percebe que existe um enorme caso de divergências e convergências,que,com perdão da redundância,convergem dentro da divergência e divergem até quando há convergência.Até parece coisa meio derivada de uma personalidade tântrica,mas garanto que é algo oriundo de atividades mentais de pessoas normais e bem posicionadas social e culturalmente.Mas,que tem aquele grau de loucura normal que cada ser humano tem,não há dúvidas,mesmo que dizer que loucura seja normal já denota uma anormalidade latente.Estou fazendo essa espécie de preâmbulo,para posteriormente,discorrer sobre aquilo que realmente interessa e que acontecerá outro dia qualquer,quando esteja mais propenso a considerações filosóficas definidoras de personalidades ou tangenciando a definição como um todo.No duro mesmo,é quase como uma enrolação,ou,para quem conheceu Cantinflas,cômico mexicano (Mário Moreno) e quase inigualável na arte de fazer rir falando coisas que aparentemente não tinham nexo,e tinham.Vamos dar um tempo ao tempo e daqui alguns dias volto ao assunto e teremos aquele tradicional diálogo que na verdade é monólogo.

segunda-feira, 5 de março de 2018

Oscar...agora só em 2019 !

O gostoso da festa do Oscar,para quem aprecia cinema e gosta de assistir e interpretar o que está sendo dito pelas telonas do mundo todo.é que apura a linha de raciocínio e conduz a buscar detalhes que muitas vezes são fundamentais na escolha de cada área,mesmo que a decisão não depende de nós,mas errar ou acertar é muito salutar.Abrindo um parentese,quando estudante do então nível secundário,formamos um grupo que assistia filmes escolhidos e depois sempre ia a algum bar,quase sempre o Bavária, em Pelotas tomar chopp e comer a melhor torrada do mundo de todos os tempos,melhor que a minha ,inclusive.Do grupo esse ,eramos oito,fazia parte ,juntamente com seu noivo,uma moça que três anos depois se tornaria Miss Universo.Eu era a paixão da prima dela.Diante disso,fica claro que essa atração por cinema vem de longe.Mas,voltando ao Oscar,dos meus pitacos acertei 3 das 5 indicações,errando um  ,ator coadjuvante,sei lá porque razóes achadas pelos juizes.No filme Três anúncios os dois atores,fato raro,concorreram ao prêmio em pauta.Optei por Woody Harrelson e ganhou Sam Rockwell,sendo que desdenhei deste porque seu papel era de um policial racista e mau caráter e alcoólatra e por esses motivos considerei que venceria Woody.Me quebrei na escolha e aí seria o clássico 4 x 1 dos últimos cinco anos,sendo que o filme vencedor normalmente erro,pois busco sempre outro desenho na história que recebe a estatueta.Os três acertos foram ator e atriz principal e coadjuvante,mas em relação ao filme ganhador acredito,dentro da minha ótica que qualquer dos outros concorrentes são melhores,e vejam bem que Das Águas é interessante.Para meu gosto,como filme para ser visto e discutido,estendendo seu entendimento e alcance,é Três anúncios e os outros também merecem assistência.Fora o aspecto que trata especificamente do cinema,as consequências das atitudes dos participantes ali presentes nos demonstra,mais uma vez,e claramente,que vivemos aqui nos trópicos num outro mundo e que vai demorar bastante para chegar ao nível contestatório e de atitudes ali vistos ao vivo e com muitas cores e pessoas interessante.Em 2019 ,sobre esse assunto,nos encontraremos,se Deus quiser. 

terça-feira, 20 de fevereiro de 2018

OSCAR 2018...pitacos!

Já é quase uma tradição,ao menos para mim,quando se aproxima a data do Oscar e começam a surgir especulações  de quem curte cinema,se este ou aquele ou qualquer outro e com suas dissonâncias,indico meus pitacos.devo lembrar que nos últimos cinco anos o nível de indicações condizentes com os de fato escolhidos apresenta excelente número de acertos.Como costumo palpitar sobre 5 categorias,ator,atriz,os dois coadjuvantes e filme vencedor,os demais quesitos não fazem parte de observações mais aprofundadas.Entendo ser este um ano bastante atípico,pela ausência de um favorito real,que não seja aquele produzido pela grande mídia e seus interesses implícitos.O filme mais badalado ,A forma da água,é bonito e interessante,entretanto sendo um drama/fantasia fantástico,foge das normais tendências de Hollywood,vai levar algo como efeitos especiais,foto e coisas menores,que de fato interessam somente aqueles que trabalham na área,lógica que influem no contexto final do filme,fazem parte viva dele.Como melhor atriz coadjuvante ,nem sei direito o nome dela,mas atua no Eu,Tonya e ator coadjuvante escolhi,de acordo com minhas preferências e de entendedor de interpretações,já que fui um bom e belo ator,digo,escolhi Woody Harrelsson,até pelo conjunto de sua obra,mas também pelo desempenho em Três anúncios para um crime.A minha melhor atriz vai para Frances MacDormand de Três anúncios,onde sua atuação se destaca e eleva o filme a uma categoria superior.Vale ver,é bom filme.O melhor ator é que ficou meio embatucado,dividido,se escolher um faz injustiça com o outro,mas não se deve fazer como os juizes brasileiros do The Voice que fazem uma onda federal e acabam por desqualificar o programa,portanto se for escolhido o Danyel Day-Lewis ou o Gary Oldman fica rá em boas mãos,qualquer uma justa.O filme,bem aí Hollywood sempre descamba para o assunto do momento,mesmo que todos sejam excelentes filmes e que devem ser vistos,então acredito que irão escolher Corra,e olhe que Três anúncios para um crime e os outros,A forma da água,Me chame pelo seu nome,O destino de uma nação e Dunkirk,mereçam e valem o ingresso,com ou sem pipoca.